Página Inicial / Revista Espírita / O Espiritismo está em todas as religiões
O Espiritismo está em todas as religiões PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administração   
Seg, 21 de Fevereiro de 2011 15:15

Material extraído do discurso de Allan Kardec , proferido durante um banquete oferecido pelos grupos de Espíritas lioneses em 19 de setembro de 1861 e publicado na REVISTA ESPÍRITA (EDICEL) de outubro de 1861 - página 312


(...) Alargando o círculo da família pela pluralidade das existências, o Espiritismo estabelece entre os homens uma fraternidade mais racional que aquela que tem por base apenas os frágeis laços da matéria, pois esses laços são perecíveis, ao passo que os do Espírito são eternos. Uma vez que bem compreendidos, tais laços influirão, pela força das coisas, nas relações sociais e, mais tarde, na legislação social, que tomará por base as leis mutáveis do amor e da caridade. Ver-se-á então desaparecerem essas anomalias que chocam os homens de bom senso, como as leis da Idade Média chocam os homens de hoje . Mas isto é obra do tempo. Deixemos a Deus o cuidado de fazer vir cada coisa a seu tempo; esperemos tudo de sua sabedoria e rendamos-lhe graças por nos ter permitido assistir à aurora que surge para a humanidade e por nos haver escolhido como os pioneiros da grande obra que se prepara.

(...) Em seu nascimento, teve o Cristianismo que lutar contra uma potência terrível : o Paganismo, então universalmente espalhado. Não havia entre eles qualquer aliança possível, como não há entre a luz e as trevas . Numa palavra, não poderia propagar-se senão destruindo o que havia. Assim a luta foi longa e terrível, de que as perseguições são a prova . O Espiritismo, ao contrário, nada tem a destruir, porque se assenta suas bases no próprio Cristianismo; sobre o evangelho, do qual é simples aplicação. Concebeis a vantagem, não de sua superioridade, mas de sua posição.Não é pois, como pretendem alguns, sempre porque não o conhecem, uma religião nova, uma seita que se forma á custa das mais antigas; é uma doutrina puramente moral, que absolutamente não se ocupa dos dogmas e deixa a cada um inteira liberdade de suas crenças, desde que nemhuma impõe. E a prova disto é que tem aderentes em todas, entre os mais fervorosos Católicos como entre os Protestantes, os Judeus e os Muçulmanos. O Espiritismo repousa sobre a possibilidade de comunicação com o mundo invisível, isto é, com as almas. Ora, como os Judeus, os Protestantes e os Muçulmanos têm alma como nós, resulta que estas podem comunicar-se, tanto com eles quanto conosco, e que, consequentemente, eles podem ser Espíritas como nós.

Não é uma seita política, como não o é religiosa : é a constatação de um fato que não pertence mais a um partido, do que a eletricidade e as estradas de ferro; é, repito, uma doutrina moral e a moral está em todas as religiões e em todos os partidos .

A moral que ensina é boa ou má ? É subversiva ? Eis toda a questão . Estudem-no e saberão de que se trata . Ora , desde que é a moral do evangelho desenvolvida e aplicada, condená-la seria condenar o evangelho .
Tem feito bem ou o mal ? Estudai-o ainda, e vereis. Que tem feito? Tem impedido inúmeros suicídios; devolveu a paz e a concórdia a grande número de famílias; tornou mansos e pacientes homens violentos e coléricos; deu resignação aos que não a tinham, consolações aos aflitos; reconduziu a Deus os que o desconheciam, destruindo-lhes as idéias materialistas, verdadeira chaga social, que aniquila a responsabilidade mora do homem. Eis o que tem feito e faz todos os dias, o que fará cada vez á medida que se espalhar. Será este o resultado de uma doutrina má ? Não sei de ninguém que jamais tenha atacado a moral do Espiritismo; apenas dizem que a religião pode produzir tudo isto. Concordo perfeitamente. Mas, então, porque não produz sempre ? É porque não são todos que a entendem .

Ora, o Espiritismo, tornando claro e inteligível para todos aquilo que não é e tornando evidente aquilo que é duvidoso, ele conduz á aplicação, ao passo que jamais se sente necessidade daquilo que não se compreende.Portanto, longe de ser o antagonista da Religião, é o seu auxiliar; e a prova é que conduz ás idéias religiosas os que as haviam repelido. Em resumo, o Espiritismo jamais aconselhou a mudança de religião, nem o sacrifício de suas crenças, não pertence realmente a nenhuma religião ou, melhor dito, está em todas elas .

 

Reflexões Espiritistas

 
 

Pesquisar no Site

Educação Espírita

Educação Espírita Para a Família

CONHEÇA O NOSSO TRABALHO

SEMEANDO IDÉIAS

 
Leia aqui 
 
 

Movimento Espírita

 

Grupo Espírita Redenção - Andaraí - Rio de Janeiro, Powered by Joomla!