Página Inicial / Crônicas Espíritas / A toalha como pomo de discórdia
A toalha como pomo de discórdia PDF Imprimir E-mail
Escrito por Jayme Lobato   
Qui, 10 de Fevereiro de 2011 15:32

O centro espírita havia inaugurado há pouco tempo. Suas instalações e seu mobiliário atendiam perfeitamente às necessidades. Dona Nair, querendo dar um toque feminino na casa espírita, propôs para o presidente:

- Seo Jair, gostaria que o senhor me permitisse fazer uma toalha para a mesa principal do centro!

- Acha a senhora que a mesa está precisando mesmo de uma toalha, dona Nair? - indaga o dirigente.

- Ficará mais arrumada! Vou fazer uma toalha simples, branca.

- Mas, por quê branca, dona Nair?

- Fica mais bonito! O branco lembra pureza!

- Tá bem! Faça a toalha, minha irmã!

Dias depois, toalha nova na mesa, dona Nair encontra-se com dona Margarida:

- Foi você quem fez a toalha da mesa, Nair?

- Foi sim, Margarida! Pedi autorização ao seo Jair!

Dona Margarida, examinando bem a toalha, observa:

- Você deveria ter colocado um babado na toalha, Nair! Os Guias Espirituais merecem uma toalha bem bonita!

- O mais importante é que fiz a toalha com muito carinho, Margarida! Está cheia da minha vibração de amor!

Dona Nair, no entanto, considerando a opinião da amiga, que lhe calou fundo, pois percebera o tom de crítica da companheira, resolve:

- Mas, tudo bem, Margarida, vou colocar uns babadinhos nela.

Dona Margarida, inquieta com a iniciativa da amiga, expõe seu desejo:

- Uma toalha só é pouco, amiga! Se o seo Jair permitir, farei outra para revezar com a sua. Toalha branca suja muito!

- Você está certa! É só falar com ele!

O presidente concorda e dona Margarida, feliz, pensa providências para a confecção da toalha:

- A toalha da Nair está muito simples! Vou fazer uma mais bonita, em linho branco. Farei crochê em toda a barra da toalha! Ficará linda!

Terminada a confecção da tolha, dona Margarida leva para experimentar. Estava ela apreciando seu belo trabalho, quando aparece dona Inês.

- Margarida! Que toalha bonita! Você quem fez?

- Eu mesma, mas com autorização do seo Jair! Está bonita, não, Inês?

- Muito bonita! Você trabalha bem no crochê, Margarida!

- Achei que precisava de mais uma toalha e, então, fui falar com o seo Jair. Ele autorizou e aqui está a nova toalha, que vai revezar com a da Nair.

Dona Inês pensa na possibilidade de também cooperar e, então, assevera:

- Você me deu uma idéia, Margarida! Vou falar com seo Jair e, se ele consentir, farei também uma toalha, para dar uma folga a você e a Nair.

Pouco tempo depois, estava dona Inês toda feliz com a inauguração de sua bela toalha. E pensava:

- Minha toalha está mais bonita que a da Margarida! Consegui colocar bordado inglês à sua volta toda!

Dona Inês apreciava sua bela produção, quando aparece dona Matilde:

- Inês, que toalha linda! Agora, então, são três toalhas para a mesa. Assim é melhor, pois pode-se variar, não é mesmo?

- É isso mesmo, Matilde! A minha está bonita! Você não acha?

- Acho sim! Também quero colaborar! Proporei ao seo Jair ficar a meu cargo o trabalho de lavar as toalhas. Assim, terei oportunidade de engomá-las! Ficarão ainda mais bonitas! Afinal, os Guias da casa merecem, não é mesmo, Inês?!

E Matilde começa a engomar as toalhas da mesa. Certo dia, encontra com dona Nair:

- Veja, Nair! Sua toalha apareceu mais, depois de engomada!

- Você está pondo pouca goma, Matilde! A da Margarida você está caprichando mais! Veja lá, minha amiga!

- É impressão sua! Coloco a mesma quantidade de goma. É que a dela é de linho, aparece mais a goma!

Naquele mesmo dia, dona Matilde encontra com dona Margarida:

- Matilde, posso estar enganada! Mas a toalha da Inês você está caprichando mais na goma! Já ouvi até elogios à forma como está sendo engomada a toalha dela!

- Margarida, querida, o problema é que a sua é de linho! Amassa mais facilmente! Ela fica impecável no primeiro dia de uso! Já no segundo e terceiro, aparecem mais as marcas do uso!

Logo depois, Matilde encontra dona Inês, que a interpela:

- Pensei que você fosse minha amiga, Matilde!

- Mas o que foi, Inês?

- Venho percebendo que a toalha da Margarida tem ficado mais bem engomada que a minha. Se necessário, eu mesma posso engomá-la!

Matilde, preocupada com as reclamações das três companheiras, procura o Tesoureiro:

- José, tenho recebido reclamações da Nair, da Margarida e da Inês, a propósito da goma que coloco nas toalhas. Cada uma acha que engomo melhor a toalha da outra.

- Isso é ciúme, Matilde. Cada uma quer que sua toalha apareça mais! - exclama o tesoureiro.

No momento, o presidente do centro ia passando e, ao ouvir parte da conversa, pára e se dirige aos dois:

- Pois saibam vocês que as três me procu-raram com a mesma reclamação! Cada qual diz que a apresentação de sua toalha está sendo prejudicada pela goma colocada por você, Matilde!

- Que absurdo, seo Jair! Engomo as três do mesmo modo - justifica-se Matilde.

- Eu acho que é ciumeira! - observa José.

O presidente, então, se dirige ao tesoureiro: - Como hoje é dia de estudo, as três devem já ter chegado! José, por favor, convide-as para uma reunião na secretaria. Gostaria também da sua presença, Matilde!

Na secretaria, com a presença dos interessados, o presidente fala:

- Minhas queridas irmãs! Muito louvável foi a atitude de vocês, à medida que se propuseram a melhorar o visual da mesa de reunião! Porém, o assunto está gerando insatisfações e descontentamentos, pela falta de compreensão das bondosas irmãs. A mesa pode ficar sem toalha, no entanto, o centro não pode funcionar sem fraternidade.

Seo Jair olha para as quatro senhoras e continua:

- Queridíssimas irmãs!!! Não é mais possível assistir, na casa espírita, seus próprios componentes dando mais importância ao visual de uma mesa que ao cultivo da fraternidade entre seus pares.

E, finalmente, o presidente sentencia:

- Assim, para que não pervertamos a função principal do centro espírita, que é a de nos educar, e já que as toalhas estão sendo objeto de escândalo, decido: fora com elas! Irão as três toalhas para o bazar de pechinchas que realizaremos dentro em breve! É preferível se percam três toalhas, que todo o ambiente da casa espírita seja lançado ao fogo do inferno da desavença, do desentendimento!

E a mesa de reunião voltou a mostrar-se bela e faceira! Aquelas toalhas, por mais belas e brancas que fossem, somente serviam para esconder sua beleza morena, própria do jacarandá.

Boletim de Abril/2002

 

Reflexões Espiritistas

 
 

Pesquisar no Site

Educação Espírita

Educação Espírita Para a Família

CONHEÇA O NOSSO TRABALHO

SEMEANDO IDÉIAS

 
Leia aqui 
 
 

Movimento Espírita

 

Grupo Espírita Redenção - Andaraí - Rio de Janeiro, Powered by Joomla!