Página Inicial / Crônicas Espíritas / A Correspondência do Centro
A Correspondência do Centro PDF Imprimir E-mail
Escrito por Jayme Lobato   
Seg, 31 de Janeiro de 2011 13:44

Antero, o presidente do centro, e Isabel, a secretária, verificam a correspondência recebida na casa espírita.

- Venho percebendo, Isabel, que cresce dia-a-dia o volume de correspondência recebida no centro!

- Realmente, Antero, o volume de papel movimentado está muito grande. E a maior parte é material de editoras e de distribuidoras de livros!

- A quantidade de livros lançados no mercado, com o título de espírita, já está assustadora! E isso tornou-se um fator de preocupação. Não podemos perder de vista a questão da qualidade doutrinária dessas obras.

- Olha só aqui este cartaz, Antero!

- Trabalho de competente marqueteiro e produzido em excelente material, Isabel!

- Trata-se de lançamento de novo livro mediúnico!

- Não conheço esse médium! Ainda não ouvi qualquer referência ao seu trabalho!

- Então não devo colocar o cartaz no quadro de avisos, não é mesmo?!

- Aguardemos, Isabel! Certifiquemo-nos primeiro da qualidade da obra, em termos doutrinários.

- É uma boa medida!

- Procuramos dar divulgação somente a material coerente com a proposta espírita nos moldes da codificação espírita, de Allan Kardec, e das obras que lhe seguem o rumo! É uma opção que fizemos aqui na casa e que achamos coerente e justa.

- Veja aqui, Antero! Temos um convite do Grupo de Trabalhadores do Espiritismo!

- O grupo está completando setenta anos de fundação! Que bom!

- E nos convida para a comemoração que ocorrerá no segundo domingo do próximo mês.

E Isabel ainda exclama:

- Setenta anos! É motivo de muita alegria!

- É sim, Isabel! Certa vez, participei de evento comemo-rativo do centenário de um centro. Foi um evento inesquecível!

- Acho a comemoração do aniversário de fundação de uma instituição espírita um evento muito importante para o nosso movimento!

- Não há dúvidas! Quando recebemos convite das instituições, não deixamos de enviar representante às co-memorações!

E Antero acrescenta:

- Foram poucas as ocasiões em que não nos foi poss-vel enviar, pelo menos, um representante. E, nesses casos, não deixamos passar em branco. Enviamos uma mensagem eletrônica, ou uma carta, ou um telegrama alusivo à data.

- Dessa forma é que se estreitam os laços entre as casas espíritas!

- Mas, isso, Isabel, ainda não é um hábito em nosso meio!

- Venho percebendo isso! Muitos são os convites ex-pedidos para a comemoração do aniversário de nosso grupo, porém poucos se fazem representar ou se manifestam!

- Acho que, quando uma casa espírita aniversaria, todo o movimento espírita aniversaria também!

- Interessante esse entendimento, Antero!

- Passe esse convite, Isabel, para a nossa diretora de representação junto ao movimento. Ela cuidará de nos representar na comemoração do Grupo de Trabalhadores do Espiritismo, ou indicará alguém para fazê-lo.

- A propósito desse assunto, Antero, ocorre um fato na nossa própria casa espírita e que me entristece muito.

- Do que se trata, Isabel?

- A ausência de muitos companheiros de nossa própria casa na comemoração do aniversário da instituição!

E Isabel enfatiza:

- Acho isso lastimável, Antero!

- Também acho, Isabel! Mas, não podemos exigir das pessoas o que elas ainda não podem dar! É uma questão de consciência individual!

- No meu caso, a alegria desse dia se torna indisfarsável!

- Isso acontece pelo seu comprometimento com o projeto do nosso centro! Você vestiu a camisa da nossa casa espírita!

- Isso é verdade! E não posso estar aqui todos os dias! Divido muito bem o meu tempo. Há lugares definidos e respeitados em meu coração para a família, para minhas obrigações profissionais e sociais e para o centro!

- O centro, para muitos, Isabel, ainda funciona como uma casa de usufruto dos benefícios. E nada mais!

- Que pena!

- Devemos comemorar o aniversário do nosso centro com os que aqui estiverem, pois esses estarão aqui de boa-vontade! Entendo que seja isso o mais importante!

- Também estar presente por obrigação, não vale a pena, Antero!

- De má-vontade, certamente que não participarão das alegrias que devem reinar nesse dia!

E Isabel, após abrir vários outros envelopes, exclama:

Veja este boletim, Antero! É de outro Estado. Não conheço essa instituição espírita!

- Deixe-me vê-lo! E Antero, após examinar o órgão informativo da institui-ção, comenta:

- Preciso examinar mais atentamente esse caso, Isabel!

- Por quê, Antero?

- Acontece uma coisa, a meu ver, estranha, nesse boletim! Todos os artigos são assinados pela mesma pessoa. Além disso, as duas mensagens mediúnicas transcritas têm como médium essa mesma pessoa! -

E que inconveniente você vê nisso?

- Tenho que verificar melhor o caso. Mas, de princípio, parece-me tratar-se de exaltação personalista.

- Entendo! O boletim só dá divulgação ao material da lavra de uma mesma pessoa, seja mediúnico ou não. O modo de ser dessa pessoa passa a ser o único referencial da instituição. E isso é perigoso!

- E compromete a credibilidade do veículo de divulgação espírita!

- Temos ainda, nesse outro envelope, farto material de excelente qualidade visual e que divulga evento não com-prometido com o Espiritismo!

- Vamos ver do que se trata! - Pelo que entendi da recomendação consensual da última reunião de diretoria, fora da temática propriamente espírita, somente material de grupos de ajuda como AAA, CVV, NA e similares devem constar de nosso quadro de avisos!

- E ainda, Isabel, aquele material que, não discordante dos princípios do Espiritismo, possa trazer notícia ou alerta sobre o bem-estar ou o comportamento humano!

- Como foi o caso daquela reportagem que demos ampla divulgação e que versava sobre os malefícios do fumo.

- Isso mesmo! Pelo visto, Isabel, abrimos toda a correspondência de hoje!

- Sim, abrimos. Antes de você se retirar, gostaria que assinasse os cartões que parabenizam os expositores pelo seu aniversário. É uma medida que acho muito simpática do nosso centro.

- Se eles vêm a nossa casa, com a maior boa-vontade, nos ajudar na divulgação da doutrina, por que não diferenciá-los com essa singela lembrança? Não é mesmo, Isabel?!

- Singela, mas muito afetuosa, Antero

- Certamente que essas mensagens de felicitações aos nossos expositores convidados vão carregadinhas do nosso bem-querer!

- São essas pequeninas coisas que tornam o nosso meio mais unido, mais solidário. E os dois se dispersam em busca de novos afazeres.

Boletim de Outubro/2003

Última atualização em Qui, 12 de Maio de 2011 15:09
 

Reflexões Espiritistas

 
 

Pesquisar no Site

Educação Espírita

Educação Espírita Para a Família

CONHEÇA O NOSSO TRABALHO

SEMEANDO IDÉIAS

 
Leia aqui 
 
 

Movimento Espírita

 

Grupo Espírita Redenção - Andaraí - Rio de Janeiro, Powered by Joomla!